MEU JEITO DE AMAR

 

Só posso amar assim...

Sem freios, sem receios...

Sem ter que reprimir

As vontades loucas, que explodem

Vindas não sei de onde e nem por que...

 

Só posso amar assim...

Se puder entregar-me inteira.

Sem ter que reprimir

E nem tentar entender

O desejo louco que surge repentino.

 

Só posso amar assim...

Se puder ser dominada

Naquele instante mágico

Em que nasço e morro mil vezes.

 

Só posso amar assim...

Se puder encontrar um dia

Um reflexo de minha própria loucura.

 

Suely Vieira

 

 

Direitos autorais reservados

 

 

 Indique esta Página!

Escolha aqui aonde deseja ir: