As palavras depois de pronunciadas não podem mais ser apagadas, não podem ser  modificadas.

       Elas permanecem na lembrança.

       Talvez mais na de quem as ouviu do que na de  quem as pronunciou.

       Dizemos o que estamos sentindo no momento em que falamos.

       E a emoção nem sempre é boa conselheira.

       Mas, para quem ouve, cada palavra ouvida provocará o surgimento de sentimentos e emoções, muitas vezes difíceis de serem esquecidos.

       Existe em nós a tendência para recordar muito mais o que nos magoou do que o que nos trouxe alegria.

       Calar, quando a emoção nos impulsionar a dizer coisas ásperas, não é sinal de fraqueza, mas sim de domínio das emoções, o que só conseguimos quando encontramos o nosso equilíbrio interior.

Senhora da Lua

Direitos autorais reservados. Lei 9610 e3 19/02/98

 Indique esta Página!

 

Escolha aqui aonde deseja ir: